segunda-feira, 24 de outubro de 2011

DURMO PARA SONHAR

Adicionar legenda

E assim, depois de muito esperar, num dia como outro qualquer, decidi triunfar...
Decidi não esperar as oportunidades e sim, eu mesmo buscá-las.
Decidi ver cada problema como uma oportunidade de encontrar uma solução.
Decidi ver cada deserto como uma possibilidade de encontrar um oásis.
Decidi ver cada noite como um mistério a resolver.
Decidi ver cada dia como uma nova oportunidade de ser feliz.
Naquele dia descobri que meu único rival não era mais que minhas próprias limitações e que enfrentá-las era a única e melhor forma de as superar.
Naquele dia, descobri que eu não era o melhor e que talvez eu nunca tivesse sido.
Deixei de me importar com quem ganha ou perde.
Agora me importa simplesmente saber melhor o que fazer.
Aprendi que o difícil não é chegar lá em cima, e sim deixar de subir.
Aprendi que o melhor triunfo é poder chamar alguém de"amigo".
Descobri que o amor é mais que um simples estado de enamoramento,
"o amor é uma filosofia de vida"
.
Naquele dia, deixei de ser um reflexo dos meus escassos triunfos passados e passei a ser uma tênue luz no presente.
Aprendi que de nada serve ser luz se não iluminar o caminho dos demais.
Naquele dia, decidi trocar tantas coisas...
Naquele dia, aprendi que os sonhos existem para tornar-se realidade.
E desde aquele dia já não durmo para descansar... simplesmente durmo para sonhar.



 

sábado, 15 de outubro de 2011

STEVE JOBS e EU

Em 1955, quando Steve Jobs nasceu, eu já era Acadêmica de Direito, em SAMPA, na Faculdade do Largo São Francisco, feliz, realizada, satisfeita com o rumo que minha vida vinha tomando.
 


 




Assim tudo continuou até me formar. Logo em seguida, o casamento, três filhos, o tímido trabalho como Advogada, longos anos de dúvidas cruéis: Lar ou Profissão?
Meu ingresso na Procuradoria Geral do Estado, através de Concurso Público marcou verdadeiramente o início de minha vida profissional, em 1970.
Nessa época, Steve Jobs, com cerca de vinte anos, criava a Apple e lançava o primeiro computador residencial. A intensa divulgação simultânea da importância da computação pessoal resultou no sucesso mundial do empreendimento!
Pouco a pouco o uso do computador foi se generalizando: lares, escolas, hospitais, escritórios, estabelecimentos comerciais, consultórios, crianças, jovens e adultos etc.
Assisti atônita a toda essa mudança revolucionária mas fiquei alheia. Aposentada da Advocacia e Distribuidora da Herbalife, no entanto comecei a perceber que perdera o bonde da história, fora alijada do palco! Precisava reassumir o lugar que sempre ocupara.
De início, chamou minha atenção, a identificação e a facilidade dos jovens com os computadores e seus jogos. Pensava: os computadores foram feitos para eles!
Depois, reconheci a importância dos computadores pessoais para o adulto e sua vida profissional.
Finalmente, sucumbi à realidade que não queria reconhecer: a vitória dos computadores e seu significado vital para todos: jovens, adultos e idosos. Cada um quer ter o seu!
Hoje, acredito que os aposentados são os maiores beneficiados para uma longevidade saudável, um cérebro ativo, um lazer confortável!
Decisão tomada, adquiri um computador, contratei um professor de computação e mãos à obra!  Em pouco tempo: e-mails, Facebook, Google, YouTube etc. faziam parte de meu dia a dia!
Foi meu renascimento! Tudo isso com o uso apenas do primeiro trabalho de Steve Jobs, mas, chegarei até os demais...

Nota:
Porque demorei tanto para aceitar as mudanças?
Essa preguiça mental chama-se zona de conforto e dificulta o esforço que a mudança exige. No entanto, após vencer essa barreira, tudo renasce, a auto estima dá segurança e alegria de viver!
Concordo com a Revista Veja
 “As criações de Steve Jobs tornaram o nosso cotidiano mais agradável, bonito e eficiente – o Mac, o iPod, o iPhone e o iPad espalharam-se pelo mundo com a força de um renascimento cultural.”