sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

O modo carioca de ser...



A Copa do Mundo no Rio de Janeiro está chegando...

Como viver essa experiência única, aproveitando o máximo de ambos: do Rio e da Copa?  RENATA ABRANCHS, escritora, em seu guia de estilo, A CARIOCA, explica como incorporar esse jeito “pé no areia” de ser!  Em entrevista, a Bruno Astuto da revista Época, ela fala que precisamos conhecer a universal simplicidade carioca, embora seja difícil aprender porque “carioca que é carioca não leva as regras muito a serio”...



ÉPOCA - Por que aprender a ser carioca?
Renata Abranchs - Depois de um longo período de trevas, o Rio voltou a ser inspiração. Entender por que isso acontece é também aprender sobre o próprio pais, cuja imagem foi durante séculos associadas ao Rio. Compreender o jeito de viver carioca é, de certa forma, um resumo de todos o Brasil, com todos os seus contrastes, sua criatividade e seu calor. Ser carioca é entender como é um luxo viver com o pé na areia, viver com pouco. Essa nossa simplicidade é um desejo universal.
 
ÉPOCA - O que as cariocas têm de diferente?
Renata Abranchs - Elas andam na rua, interagem com a cidade, usam cores, misturam, têm o sorriso estampado no rosto e um magnetismo incontestável. São donas do famoso borogodó.
 
ÉPOCA - Qual a melhor dica para curtir a cidade?
Renata Abranchs - A Rua Lopes Quintas, no Jardim Botânico, está cheia de ótimas atrações e lojinhas, brechós, ateliês e restaurantes. Também, com a pacificação das favelas, o carioca descobriu novos cenários. A mistura entre morro e asfalto, em todos os sentidos, nunca foi tão grande. Andar a pé descortina a cidade sem a menor cerimônia Quando estiver no Rio, dispense realmente o carro.
 
ÉPOCA - Que outra cidade do Brasil teria mulheres igualmente charmosas?
Renata Abranchs - O país todo. Sobretudo a baiana e a pernambucana têm muito a comunicar no colorido intuitivo, no frescor, na alegria, na música, na arte e na ginga.
 
ÉPOCA - Ainda há rivalidade entre Rio e São Paulo?
Renata Abranchs – Que rivalidade? Como os cariocas não gostariam de quem gosta tanto do Rio como os paulistanos?

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

211212

A civilização Maia existiu na América Central, antes do descobrimento das Américas. Os maias tinham diversos calendários próprios e de diversos tamanhos. O mais longo deles terminará precisamente em 211212, a próxima sexta-feira. Para alguns isso é o fim, porém é só o fim de um calendário.



Por coincidência estamos justamente agora, vivendo uma fase de transição espiritual para outro ciclo de evolução. Não há nenhuma ligação entre os dois fatos.
Para nossa evolução e crescimento espiritual é natural que uma realidade se acabe e outra se instale no lugar. Esses dias, que ora passamos, é um desses grandes momentos de transição espiritual! Deve ocorrer dentro de nós.

O mundo que deve ser extinto é o mundo interno da violência, das injustiças, das iniquidades, das desigualdades, da fome e da miséria. Deverá haver uma grande ascensão do Bem.
Um aumento de nossa percepção social, em detrimento do individualismo egoísta. Aumentar nossa solidariedade com a percepção de que somos todos iguais.
É verdadeiramente necessário que esse mundo injusto se acabe e que um novo mundo se instale em nossa intimidade, para que para o planeta ganhe outras paisagens e outros valores. Nem todos se beneficiarão, mas todos aqueles que estão conscientes.

Só assim olharemos para frente e para os lados e teremos a certeza de que evoluímos e que há paz, harmonia e justiça em nós e no mundo!




sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

DIREITOS HUMANOS


Até o século XIX, os países, do mundo conhecido e considerado civilizado, viviam constantemente em guerras. Mas os pacifistas da época começaram a idealizar um órgão internacional capaz de resolver as divergências e impedir os conflitos.

Em 1919, em Paris, teve início uma instituição, chamada LIGA DAS NAÇÕES, que foi dissolvida, após não conseguir  impedir a Primeira Grande  Guerra, na mesma data . A Liga era constituída por países europeus. Em 1939 teve início a Segunda Grande Guerra Mundial, que só terminou com o auxilio dos Estados Unidos.

Com as desastrosas  consequências trazidas à humanidade com as duas  guerras , cresceu o interesse pela criação de um órgão responsável pela Paz Mundial.  Assim, em 1945, nasceu a ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS, com sede nos EUA, que veio a se transformar na verdadeira assembléia do mundo. embora não tenha conseguido acabar com as guerras.

No exercício de suas funções, em 10 de Dezembro de 1948, tornou pública a tão necessária Declaração Universal dos Direitos Humanos, com XXX parágrafos. Atualmente, 132 países fazem parte da ONU. Infelizmente nem todos respeitam esses direitos, nem fazem parte do órgão que objetiva a PAZ MUNDIAL!

Abaixo  nossa versão popular!


sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

BRASIL CAMPEÃO: Biodiversidade


Biodiversidade no Brasil




O Brasil é o país que tem a maior biodiversidade de flora e de fauna no planeta!

É uma enorme variedade de animais, plantas, microrganismos e ecossistemas! 
Muitos, únicos em todo o mundo!

Devemos tal situação à sua extensão territorial e aos diversos climas do país.

O Brasil detém o maior número de espécies conhecidas de mamíferos e de peixes de água doce! O segundo lugar de anfíbios, o terceiro de aves e o quarto de répteis.

Com mais de 50 mil espécies de árvores e arbustos, tem o primeiro lugar em biodiversidade vegetal! Nenhum outro país tem registrado tal variedade de orquídeas e de palmeiras.

Os números impressionam, mas, segundo estimativas aceitas pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), eles podem representar apenas 10% da vida no país.

Como várias regiões ainda são muito pouco estudadas pelos cientistas, os números da biodiversidade brasileira tornam-se maiores na medida em que aumenta o conhecimento.

Durante uma expedição de apenas 20 dias pelo Pantanal, coordenada pela ONG Conservation International (CI) e divulgada em 2001, foram identificadas 36 novas espécies de peixe, duas de anfíbio, duas de crustáceo e cerca de 400 plantas cuja presença naquele bioma era desconhecida pela ciência.

O levantamento nacional de peixes de água doce coordenado pela Universidade de São Paulo (USP), publicado em 2004, indica a existência de 2122 espécies, 10% a 15% delas desconhecidas até então.

fonte: Wikipédia