sexta-feira, 22 de março de 2013

Esperemos...


“Uma igreja pobre para os pobres”


Foi assim que o Papa descreveu seu caminho, seguindo São Francisco de Assis! No entanto, na prática, conseguirá atingir esses objetivos?

A Igreja Católica, maior instituição financeira do mundo, com mais de l.200 bilhão de fiéis e uma tradição de 2.000 anos, irá se deixar atualizar, com mudanças de rumo que exigem novos  fundamentos? Atualizar? Sim, atualizar, porque o mundo mudou e a Igreja ficou distante de algumas mudanças sociais já aceitas e irreversíveis!

PRIORIDADES

A pedofilia já é crime social inaceitável, há algum tempo. No entanto, os seus casos de abusos sexuais têm sido sistematicamente acobertados. Urge limpar a imagem da Igreja que vem sendo muito prejudicada. É um dos maiores e dos mais urgentes desafios a ser enfrentados.

Quanto à transparência das contas financeiras do Vaticano, é o grande problema que todos os governos atuais vêm enfrentando. Parece que a honestidade desapareceu do planeta... Até do lugar que se pretendia “santo”... Quanto a isso, São Francisco de Assis pode iluminar o caminho a seguir, ressalvando a opção do caminho adotado, por ele próprio...

Já fizemos referência à imobilidade da Igreja, quanto às atuais transformações sociais. A partir da década de sessenta, com a pílula anticoncepcional, a liberação das mulheres, o aborto, a homossexualidade, a eutanásia, a aceitação das diferenças e o diálogo com outras religiões, a Igreja nunca se manifestou claramente no sentido de tentar ajudar e compreender a posição dos fieis atingidos. Essa situação tem levado à perda de inúmeros fieis através do mundo, fieis que não sabem como agir quanto a seus problemas e à atual realidade.

Finalmente, o problema crucial dos nossos dias é a desigualdade social: os ricos e os pobres. Os excluídos socialmente, a fome no mundo e a falta de água, de escolas, de hospitais e de trabalho. Nesse setor há tudo a se fazer e é grande a omissão da Igreja. Esse foi o grande tema de São Francisco de Assis e a principal referência de Papa Francisco!

Muitos não esperam grandes mudanças na atual estrutura da Igreja. Compreendo que é uma imensa tarefa... Que o Papa Francisco ao menos suavize o discurso da Igreja... Começar já é um grande passo... 

Só nos resta a esperança...

terça-feira, 19 de março de 2013

Habemus Papam

D. Cláudio (à dir.) durante apresentação do papa Francisco, no Vaticano
foto de 
Valdrin Xhemaj/Efe


Apontado como o cardeal brasileiro mais próximo do novo papa, dom Claudio Hummes, 78, Arcebispo Emérito de São Paulo, foi convidado pelo Papa Francisco, para ficar ao seu lado no balcão da basílica de São Pedro, no momento de sua apresentação ao mundo. Emocionado com o convite e com a homenagem ao fundador de sua ordem, o franciscano d. Cláudio disse à Folha que a escolha do nome de Francisco é por si só uma encíclica, não precisa nem escrever. Isso é muito bonito, é muito promissor.


Folha - O Sr. foi convidado pelo papa Francisco a estar ao seu lado na primeira aparição. Como é a relação entre vocês?
D.Claudio Hummes - Nós nos conhecemos de muitas oportunidades, porque fui arcebispo de São Paulo, e ele, arcebispo de Buenos Aires. Mas sobretudo foi em Aparecida (SP) onde estivemos mais tempo trabalhando juntos, na 5ª Conferência Latino-americana, em 2007.  Ele era o presidente, e eu, um dos membros. Admirei muito a sua sabedoria, serenidade, santidade divina, espiritualidade. Muito lúcido e muito pastoral, grande zelo missionário, de querer que a igreja seja mais evangelizadora, mais aberta.

Como foi o convite para o balcão?
Ele chamou o cardeal Vallini, que faz as vezes do bispo de Roma, o vigário da cidade, e me chamou também. Disse: "D.Cláudio, vem você também, fica comigo neste momento... Mas foi realmente, para mim, muito gratificante. E também pelo fato de ele ter recém-escolhido o nome de Francisco. Eu sou franciscano, então isso me envolvia muito pessoalmente.

Como o Sr. interpreta esse gesto?
Como um gesto pessoal dele, muito espontâneo, muito simples. Não sei quais os significados que ele queria dar. Eu digo que fiquei muito feliz, estava ali com o primeiro papa chamado Francisco.

O papa recusou a limusine, foi pagar a conta do hotel....
São gestos simples, mas que mostram quem ele é e como ele vê as coisas. A minha maravilha foi que esses gestos foram compreendidos pelo povo simples e pela mídia. A mídia também interpretou esplendidamente, entendeu as mensagens que o papa queria dizer.

Qual é o significado de ter um papa de fora da Europa depois de mais mil anos e além disso latino-americano?.
O fato de que hoje venha um papa de fora da Europa tem um significado muito grande porque mostra o que a igreja sempre tem dito: a igreja é universal, para a humanidade. Não é só para a Europa. É o gesto de dizer: o papa pode vir de qualquer parte do mundo. Também acho importante que tenha vindo da periferia ainda pobre, emergente. Isso é uma confirmação para todos os católicos e não só para os católicos, até os países se sentem muito mais em pé de igualdade com os outros.

São Francisco também é lembrado pela missão de reformar a igreja como um todo. A escolha do nome também tem essa abrangência?
Certamente, para o papa, o nome é todo esse programa. Hoje, a igreja precisa, de fato, de uma reforma em todas as suas estruturas. Organizar a vida da igreja, a Cúria Romana precisa urgente e estruturalmente ser reformada, isso é pacífico entre nós. Porém uma coisa é entender que precisa ser feito e outra coisa é fazê-lo..

Em que sentido a reforma é necessária?
Não é só da Cúria, são muitas outras coisas: a evangelização precisa de novos métodos. O papa falou no encontro com os cardeais sobre novos métodos, nós precisamos encontrar novos métodos. Mas se falou sobretudo da Cúria Romana, que precisa ser reformada estruturalmente. É muito grande, mas tudo isso precisa de um estudo, a gente não tem muitas coordenadas. Muitos dizem que é grande demais, que foi feito um puxadinho aqui, um puxadinho lá, mais uma sala aqui, mais uma comissão lá... Essas coisas todas que acontecem numa estrutura dessas. A igreja não funciona mais. Toda essa questão que aconteceu ultimamente mostra como ela não funciona. E depois, uma vez feito esse novo desenho, você tem de procurar as pessoas adaptadas para ocuparem esses cargos, esses serviços.

Reza a lenda de que o papa Francisco não gosta de vir a Roma, que sua formação foi longe daqui. Isso contribuiu para a sua escolha?
Não sei se contribuiu para a sua escolha, mas contribui agora, que ele é papa, a ser mais independente, a ser uma visão mais objetiva. É muito diferente ver um jogo da arquibancada e ver um jogo jogando futebol. Ele não jogou futebol. Mas vai ajudar, certamente. Ele vai ouvir pessoas que jogaram, porque é importante ouvir do jogador como ele viu o jogo e quais são as necessidades dentro da forma como se joga.

Continuando a metáfora, o Sr. jogou aqui por quatro anos e já foi convocado por ele. O que o Sr. pode dizer a ele sobre o que precisa ser feito?
Se um dia me perguntarem sobre isso... Claro, todos nós já falamos sobre isso nas congregações gerais, em que ele estava presente. E estamos disponíveis sempre pra ajudar e precisamos ajudar. Os cardeais são o conselho que deve ajudar o papa.

Há relatos na imprensa argentina sobre o envolvimento --por omissão ou colaboração-- do papa Francisco com a ditadura militar. O que tem Sr. pode falar sobre isso?
Não conheço os detalhes, mas, conhecendo a pessoa, nem é possível imaginar isso. Ele é um homem extremamente dos pobres, dos direitos da gente, dos mais simples, dos mais oprimidos, dos mais humilhados, ele é um exemplo de defesa, de estar junto dos pobres... É inimaginável. Tenho certeza de que tudo isso de fato é um grande equívoco, senão uma falsificação.

Fala-se muito que a herança da Teologia da Libertação para a igreja na América Latina?
Basta olhar como ele foi arcebispo em Buenos Aires e o documento de Aparecida, que diz tudo isso. Ele está nessa linha, certamente. Se a gente quer descobrir qual é a linha dele de pastoral social, de relação com os pobres, nós vamos encontrá-lo lá, sim. A Teologia da Libertação foi uma fase histórica que, obviamente, tem essa questão da consciência que temos dos pobres e da necessidade de sermos solidários em termos construtivos da justiça social. Tudo isso a Teologia da Libertação também reforçou..

A primeira viagem do papa deve ser ao Brasil, O Sr. tem uma ideia do que o papa pretende orientar?
Ainda não transpirou nada sobre as mensagens que ele vai levar, mas a gente sabe, tem certeza de que ele vai falar. Ele quer que a igreja seja compreensiva, misericordiosa, saiba caminhar juntos e que isso é um percurso que tem de fazer, não se pode exigir que amanhã alguém já seja um cristão perfeito. É um caminho, um processo.

Desde o Concílio Vaticano 2º, há um grande esforço para o diálogo interreligioso?
O diálogo ecumênico com as outras igrejas cristãs não católicas existe de forma muito forte, sobretudo a partir do Concílio Vaticano 2º. Esse diálogo é lento, mas vai caminhando. E esse papa é muito aberto a ouvir. Ele mesmo disse que quer ouvir o mundo, e não só os cardeais e os bispos.

O Sr. já é emérito, mas vai ficar no Vaticano em alguma função?
Não, não, eu vou ficar até o dia 22, vou participar da cerimônia pública religiosa e vou participar de uma reunião no dia 21. E aí volto para os meus trabalhos.

sexta-feira, 15 de março de 2013

Afrodisíacos


Existem diversos alimentos que supostamente agem como afrodisíacos. Alguns são assim considerados pelo seu formato sugestivo, outros pelo seu aroma, e outros ainda tem uma base química para seus efeitos na libido. A lista é grande: ostras, chocolate, morangos com creme, uma taça de champagne ou vinho, pinhão, amendoim, especiarias como manjericão, cardamomo, pimenta, gengibre, noz moscada, alho, aniz e alcaçuz, banana, aspargos, abacate, figos, semente de abóbora, pimenta, e outros mais.



Os 10 mais:

Chocolate sempre foi associado ao romance. É originário das florestas tropicais sul-americanas. Os maias veneravam o cacaueiro e chamavam o cacau de “alimento dos deuses”. Diz a lenda que o imperador asteca Montezuma bebia 50 taças de chocolate todo dia para melhorar sua capacidade sexual – haja chocolate!!! As pesquisas científicas mostraram que Montezuma sabia das coisas, pois o chocolate contém feniletilamina e serotonina, duas substâncias químicas que causam bem-estar. Elas ocorrem naturalmente no corpo e são liberadas pelo cérebro quando estamos felizes ou apaixonados. Pesquisadores do Instituto de Neurociência em San Diego, Califórnia, descobriram que o chocolate contem um neurotransmissor chamado anandamida, que se liga a receptores canabinóides no cérebro, causando certa euforia, que poderia estimular a libido. E mais, o cacau também contem metilxantina, uma substancia que torna a pele mais sensível ao toque. Prefira sempre o chocolate escuro, mais rico no precioso cacau. Não exagere, olhe as calorias! 15 a 20 gramas de chocolate são suficientes.

Ostras são ricas em zinco, um mineral ligado à produção de testosterona. Pesquisas recentes mostraram que ostras (e também mexilhões e mariscos) contêm ácido aspártico e NMDA (N-metil-D-aspartato), dois compostos que propiciam a liberação de dopamina, com o consequente aumento do nível de hormônios sexuais como a testosterona e o estrogênio. Mais hormônios, mais disposição para namorar.

Melancia é rica em citrulina, um aminoácido que melhora o fluxo de sangue, pois relaxa os vasos sanguíneos, produzindo um efeito similar ao de drogas como o sildenafil (Viagra), e o resultado é um incremento da quantidade de sangue nos órgãos genitais, com o consequente aumento do desejo. A citrulina é mais concentrada na parte branca da melancia, mas, ainda assim, tem o suficiente na deliciosa polpa vermelha.

Aipo apesar de não parecer um alimento que esteja ligado à libido, contem androstenona e androstenol, dois feromônios liberados no suor, e que contribuem para o interesse sexual. Tem pouquíssimas calorias e pode ser consumido à vontade, cru na salada ou batido em sucos. Experimente suco de melancia com aipo, é uma delícia, e funciona.

Bebida alcoólica em pequena quantidade diminui a inibição e aumenta a disponibilidade para o ato sexual, mas se exagerar na dose o efeito é contrário, podendo perturbar a capacidade de ereção do homem. O álcool também produz uma vasodilatação com aumento do fluxo sanguíneo para os órgãos genitais, traduzindo em mais desejo. Uma ou duas taças de vinho já são suficientes para estimular a libido.

Especiarias e ervas aromáticas (baunilha, canela, manjericão, cardamomo, gengibre, noz moscada, aniz e alcaçuz) – estimulam o cérebro através de seus óleos essenciais, com o aroma característico de cada um. De modo geral as especiarias agem ativando a circulação sanguínea, e portanto podem melhorar o fluxo de sangue e a irrigação dos órgãos genitais. Em uma pesquisa realizada em Chicago, no Smell and Taste Treatment and Research Foundation, foi estudado como aromas distintos estimulavam a excitação sexual, e o aroma do alcaçuz aumentou em 13% o fluxo sangüíneo para o pênis.

Ovos são ricos em vitaminas do complexo B, principalmente B5 e B6, que ajudam a equilibrar os hormônios e a reduzir o stress, dois fatores importantíssimos na libido. Além disso, o colesterol presente na gema é precursor na produção de hormônios sexuais. Ovinhos de codorna são uma excelente opção.

Amêndoas (e outras nozes) são uma grande fonte de ácidos graxos essenciais, uma das matérias primas para a produção de hormônios sexuais. Elas também são ricas em arginina, um aminoácido que melhora o fluxo de sangue nos órgãos sexuais. O aroma das amêndoas, através de seus óleos essenciais, também é reconhecido como afrodisíaco, principalmente para as mulheres.

Pimenta vermelha em suas diversas variedades mais ou menos ardidas, é rica em capsaicina, uma substancia que aumenta o fluxo sanguíneo, libera endorfinas pró-libido e aumenta a temperatura corporal. Ela também tem uma ação local direta nos genitais, aumentando a sensibilidade. Se você não gosta do ardido, experimente a pimenta de cheiro, bem suave.

Aveia é um cereal conhecido por melhorar o desempenho sexual. Seu modo de ação é através da liberação da testosterona, que normalmente circula no corpo ligada a uma proteína. Quando a testosterona está ligada, ela não tem ação no corpo. Na sua forma livre ela se acopla aos receptores e estimula o desejo e a libido. Muitos pensam que só os homens tem testosterona, mas o desejo sexual das mulheres também depende deste hormônio.

Dica afrodisíaca
É importante se alimentar bem sem comer demais – barriga cheia acaba com a libido. Prefira uma refeição leve à base de proteínas marinhas, como peixes e frutos do mar, uma salada regada com um bom azeite e um toque de pimenta, uma taça de vinho seco, e uma bela sobremesa no final, tipo uma musse de chocolate – depois é só namorar muito!

sexta-feira, 8 de março de 2013

Independente e Autônoma


A mulher, durante séculos, foi sustentada pelo pai ou marido, a quem devia obediência. Afinal, não lhe era permitido ter instrução e foi sempre considerada incompetente e incapaz. A partir dos anos 1960, a mulher começou a se libertar dessa submissão, adquirindo novo status.
Atualmente, muitas dessas mulheres ganham seu próprio dinheiro — às vezes mais que seus maridos ou amigos —, compram o que desejam, viajam para onde querem, escolhem onde morar e, o melhor de tudo, não têm que prestar contas dos seus gastos a ninguém.
A mulher independente é invejada pelas mulheres que, por mais que trabalhem, não garantem seu próprio sustento
.

Há quem diga que, além de não estar preparado para abrir mão da superioridade que o papel de provedor lhe confere, poderia se sentir desvalorizado caso a parceira ganhasse mais do que ele.
Mas na realidade não é isso o que acontece. O homem não teme a mulher que tem uma profissão e ganha bastante dinheiro. Muitos temem, sim, a mulher autônoma. Ser uma mulher independente ou uma mulher autônoma não é a mesma coisa. Mas existe uma confusão a respeito disso.
O que é, afinal, uma mulher autônoma? Em primeiro lugar, ela olha com novos olhos para o mundo, o amor, o homem, a mulher, sem estar presa aos padrões de comportamento que tanto limitam as pessoas. Tem coragem de ser ela mesma na sua totalidade, e não renuncia a partes do seu eu tentando corresponder ao que dela se espera. Se sente livre para expressar todos os aspectos de sua personalidade, mesmo os considerados masculinos pela nossa cultura, como força, decisão, ousadia.
Na relação amorosa, não se preocupa em se submeter às exigências sociais do que é aceito ou não para uma mulher, tais como: mulher não deve tomar a inciativa, mulher não pode mostrar que gosta de sexo, mesmo com muito desejo mulher não pode transar no primeiro encontro, mulher precisa ter um homem ao lado para ser valorizada, etc…
A questão é que autonomia não é fácil de ser alcançada. São anos e anos de condicionamento, em que vamos assimilando os valores do lugar em que vivemos, como se fosse nosso idioma natal. Mas hoje, cada vez mais mulheres questionam a suposição da nossa cultura de que a verdadeira felicidade se equipara a estar envolvida com um homem. Isso já é um bom sinal. Ter ou não um homem ao lado está aos poucos deixando de ser a questão básica da vida. Porém, ainda são poucas as pessoas que realmente buscam autonomia.
É evidente que sem independência financeira não existe autonomia. Mas não basta. Existem mulheres totalmente independentes sem autonomia alguma. Muitas alcançam sucesso profissional, se tornam brilhantes executivas e, no entanto, vivem sonhando em encontrar o príncipe encantado, com a ilusão de que só assim a vida terá sentido.
Regina Navarro Lins

segunda-feira, 4 de março de 2013

IMENSIDÃO




Em um infinito de possibilidades, eu escolho todas. Tenho uma sede que não cessa
e uma dificuldade imensa em escolher apenas um destino.

Tenho uma curiosidade que me deixa inquieta
e uma vontade de percorrer todos os caminhos que não tem fim.

Alimento a ideia fixa de desfrutar coisas que ainda nem sei
e o sonho de habitar em lugares onde nunca estive. 

Tenho vontades para suprir e um monte de janelas para abrir.
Sem saída, aceito minha condição restrita, mas faço ser intenso tudo que já conheci. 

Posso até ser limitada do lado de fora, mas as minhas recordações não me deixam mentir:
aqui dentro o espaço é imenso.

Fernanda Gaona

sexta-feira, 1 de março de 2013

O Escultor de Mim


Hoje levantei cedo pensando no que tenho a fazer antes que o relógio marque meia noite. É minha função escolher que tipo de dia vou ter hoje.


Posso reclamar porque está chovendo ou agradecer às águas por lavarem a poluição.

Posso ficar triste por não ter dinheiro ou me sentir encorajado para administrar minhas finanças, evitando o desperdício.

Posso reclamar sobre minha saúde ou dar graças por estar vivo.

Posso me queixar dos meus pais por não terem me dado tudo o que eu queria ou posso ser grato por ter nascido.

Posso reclamar por ter que ir trabalhar ou agradecer por ter trabalho.

Posso sentir tédio com o trabalho doméstico ou agradecer a Deus por ter um teto para morar.

Posso lamentar decepções com amigos ou me entusiasmar com a possibilidade de fazer novas amizades.

Se as coisas não saíram como planejei posso ficar feliz por ter hoje para recomeçar.

O dia está na minha frente esperando para ser o que eu quiser. E aqui estou eu, o escultor que pode dar forma. Tudo depende só de mim.

Charles Chaplin