segunda-feira, 29 de abril de 2013

ALL IS LOVE


A GRATIDÃO É O VERDADEIRO SEGURO-SAÚDE


Para receber a saúde que você precisa, precisa de amor. Diante de qualquer mal estar, emita sentimentos positivos sobre sua saúde, porque só assim encontrará a saúde perfeita. Você não pode ter sentimentos negativos sobre o mal estar que está sentindo e receber saúde.
Se você detesta ficar doente ou tem medo das doenças, ela é eliminada por meio de tais sentimentos positivos.

Quando você emite pensamentos e sentimentos positivos, com relação ao que você quer, as suas células recebem a plena força da saúde. Quanto você emite pensamentos e sentimentos negativos com relação ao que você não quer, a força da saúde dirigida a suas células reduz.

Não importa que você esteja se sentindo mal por algum motivo que nada tem a ver com sua saúde; quando está se sentindo mal, você reduz a força da saúde no seu corpo.
Mas quando sente amor por qualquer coisa que seja - um dia de sol, uma casa bonita, um amigo, uma promoção no trabalho - seu corpo recebe a plena força da saúde.

A gratidão é o grande multiplicador, portanto diga obrigado diariamente por tudo que recebe e pela sua saúde. A gratidão é o verdadeiro Seguro-Saúde!
Nem todo dinheiro do mundo pode comprar saúde, pois ela é um dom da vida. Portanto, mais que por qualquer outra coisa, seja grato por ser saudável. 

Seja grato pelo seu corpo em vez de ficar encontrando defeitos nele! Sempre que lhe ocorrer algo que você não gosta em seu corpo, lembre-se de que a água dentro de você está captando esses sentimentos! Diga sempre obrigado de todo coração, principalmente, por aquilo de que gosta no seu corpo, ignore as coisas que lhe desagradam nele!

Percebeu a importância da relação positiva entre nós, nosso corpo e nossa mente? 
Tudo decorre daí.
Essa deve ser nossa maior e melhor relação! Nossa condição para bem viver!

Autora
WILLA CATHER (1873 – 1947)
Romancista americana, ganhadora do Prêmio Pulitzer, formada Universidade de Nebraska.

Frases de Willa:
O amor provoca o amor
Onde há amor intenso há sempre milagres
A felicidade é isso. Dissolver-se em algo muito grande e total,
é estar totalmente absorvido por uma coisa maravilhosa, que te complete.”

segunda-feira, 22 de abril de 2013

FRUTAS - como comer?


Fruta é o mais perfeito alimento, gasta uma quantidade mínima de energia para ser digerida e dá ao corpo o máximo retorno.
A fruta é principalmente frutose ( pode ser transformada com facilidade em glicose) e, na maioria das vezes, é constituída de 90/95 % de água.
Isso significa que a fruta alimenta e limpa ao mesmo tempo.

O único problema com as frutas é que as pessoas geralmente não sabem como comê-las, de forma a aproveitar efetivamente os seus nutrientes. Devemos comer as frutas sempre com o ESTÔMAGO VAZIO. Por quê? A razão é que as frutas não são, em princípio, digeridas no estômago: são digeridas no intestino delgado. Elas passam rapidamente pelo estômago, indo direto para o intestino, onde liberam seus açúcares. O único alimento que faz o seu cérebro trabalhar é a glicose.

Mas se houver carne, batatas ou amidos no estômago, as frutas ficam retidas e começam a fermentar. Já comeu alguma fruta à sobremesa, após uma lauta refeição, e passou o resto do dia indisposto? É porque não a comeu da maneira adequada. Devemos ingerir frutas sempre com o estômago vazio.

A melhor espécie  é a fruta fresca ou o suco feito na hora de beber. Não se deve beber suco de lata ou de recipientes de vidro. Porque não? Porque a maioria das vezes o suco foi aquecido, no processo pelo qual o recipiente é vedado, e a sua estrutura torna-se ácida.
Quer fazer a mais valiosa compra? Compre uma centrífuga. O suco extraído pela centrífuga é como se fosse a fruta, tomar com o estômago vazio. O suco é digerido tão depressa, que pode se comer uma refeição logo em seguida, quinze ou vinte minutos depois.

A fruta é o melhor alimento para nos proteger contra as doenças do coração. Contêm bioflavonóides e evitam que o sangue se torne espesso e obstrua as artérias. Também fortalece os vasos capilares, que quando fracos podem provocar hemorragias internas e até ataques cardíacos.

Em tempo:
Os orientais bebem chá quente (de preferência chá verde) durante as refeições. Nunca água ou bebidas geladas. Líquidos gelados, durante e após as refeições, solidificam os componentes oleosos dos alimentos, retardando a digestão. O chá morno depois de uma refeição, facilita a digestão e amolece as gorduras para serem expelidas, ajudando a emagrecer. Devemos adotar esse hábito.

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Renda Básica

PHILIPPE VAN PARIJS

Filósofo e economista político belga, conhecido como proponente e principal defensor do conceito da renda básica, ciceroneado pelo senador Eduardo Suplicy (PT-SP), esteve em São Paulo, deu palestras na USP e na Fundação Getúlio Vargas e foi entrevistado pela Folha de São Paulo.




Folha - Que avaliação o senhor faz do Bolsa Família?
Phillippe Van Parijs
 - Acho um programa muito importante, imprescindível. Não há dúvida sobre sua contribuição para reduzir a pobreza e a desigualdade. Acho muito bom que seja pago em dinheiro, não em vale alimentação. E acho uma boa ideia ter condicionantes de saúde e educação. As dificuldades são a focalização - encontrar milhões de famílias pobres - e, principalmente, a regra que faz com que as pessoas saiam quando conseguem obter um pouco mais de dinheiro com suas próprias fontes.

Por que isso é um problema?
É um defeito dos programas desse tipo, pois cria dependência. Uma armadilha: se a pessoa encontra um emprego, é punida, precisa ser tirada do programa. Então muitos permanecem nessa situação de dependência. [...] Na angústia de perder o benefício, não faz nada, fica parada, não muda sua situação. Esse é o perigo. É por isso que acho importante o aspecto universal. Dizer: "Olha, não há risco de perder, pode ir adiante, pode assumir um trabalho, mesmo que seja mal remunerado no início".

Mas não há evidência de que os inscritos no Bolsa Família deixem de procurar emprego.
É verdade. Mas no último congresso de que participei, recebi a informação de que é muito pequeno o número de famílias que deixam o programa. Elas recebem o Bolsa Família porque estão nas condições de ingresso, mas depois não são visitadas para ver se arrumaram emprego. Dessa forma, o Bolsa Família já opera como um programa de renda básica universal. O que eu e outras pessoas como o senador Suplicy dizemos é que seria melhor ter um piso de renda que possa ser dado para todo mundo.

Todos?
Todos. Se a pessoa encontra um trabalho, ela mantém o benefício. Mas a forma como o Bolsa Família funciona de fato já é similar a isso, porque não tira a família se alguém acha trabalho, é formalizado e fica um pouco acima do patamar de ingresso. Isso é bom. [...] Essa disfunção do Bolsa Família é um elemento de dinamismo do programa com efeito positivo.

Alguém já adotou um programa como o senhor propõe: universal e incondicional?
No Alasca (EUA) há uma pequena renda básica, produto de um fundo originário do petróleo. O dinheiro é distribuído para todos. Cerca de US$ 2 mil por ano. Vem desde 1982. E funciona.

O senhor diria que dinheiro é um direito humano?
Não gosto [dessa definição] porque há uma inflação dos direitos humanos. Seria uma retórica útil, mas prefiro formular as coisas em termos de uma sociedade justa. Uma sociedade na qual há liberdade real para viver. O ingresso universal [num programa de renda básica] é um dos elementos centrais. Uma boa educação, um bom sistema de saúde, um ambiente público agradável também são.

segunda-feira, 8 de abril de 2013

A Mística Feminina


BETTY FRIEDAN, com seu livro A MÍSTICA FEMININA, na década de 60, desencadeou uma grande revolução que resultou no Movimento Feminista. Esse livro fez com que as mulheres americanas percebessem que o ideal feminino da época já não satisfazia seus anseios! Havia outro sonho em andamento, que permitia usar seus talentos.

O Movimento cresceu rapidamente e se alastrou pelo mundo todo e contínua até hoje, sem perder a sua força. Pelo contrário, sua importância só cresceu, vindo a se transformar na atual necessidade de Igualdade de Direitos entre homens e mulheres e na redistribuição de atribuições mútuas na sociedade.

Começou como um movimento feminino, por maiores opções de vida e de escolhas. Mas suas consequências têm levado a mudanças sociais imprevisíveis, sejam na família, no trabalho e na educação. Por isso o assunto nunca deixou de ser atual após tantos anos.

Interessante é que, para muitos, parece que nada mudou. Não se dão conta da grande conquista já alcançada e das próximas que virão. Verdade que a transição desencadeada pelo movimento ainda está em pleno andamento. Embora já tenha revolucionado bastante o universo feminino e tenhamos adquirido muitas posições.

Agora, quanto à inclusão da Igualdade de Direitos, ainda há muito a fazer. Nesse sentido a historiadora americana STEPHANIE COONTZ escreveu: “Não podemos mais tratar assuntos de família como se fossem de mulher. Eles são temas de Direitos Humanos.”

Pesquisas ao redor do mundo demonstram que já ocorreu uma grande mudança quanto à interpretação de que o cuidado da família seja exclusivamente um problema da mulher. Por outro lado, mudou também, a mística masculina, de que o homem deva ser o provedor da família!

Até agora tivemos mais preocupação quanto à mística feminina. Daqui para frente, urge incentivar as mudanças masculinas! Ao homem cumpre assumir a posição igualitária de responsável pela família e deixar de se sentir apenas seu provedor! Seremos muito mais felizes com direitos e deveres acertados.

À mulher cumpre conquistar sua plena autonomia, inclusive financeira e ser responsável por sua própria manutenção, independentemente de seu estado civil. Principalmente, precisam deixar de esperar que os homens sejam seus provedores.

Homens e mulheres  precisam usufruir de NOVA MÍSTICA, o verdadeiro ideal do feminino.

A MÍSTICA DA CARREIRA PROFISSIONAL!

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Serviço Doméstico




O assunto do dia
DANUZA LEÃO
Quem sempre teve uma relação correta com sua empregada está tranquilo. 
Afinal, férias, 13º, INSS, são coisas que nem precisariam de lei para existir, e além de serem justas, fazem com que as relações entre empregada/empregador sejam amenas e pacíficas, o que torna a vida melhor para todos.
....................................................................................
Por outro lado, não há quem precise de uma doméstica tantas horas seguidas, a não ser uma família com pai, mãe e quatro filhos, em que ninguém arruma sua cama, as roupas são largadas pelo chão, cada um almoça e janta na hora que quer, e aí nem as nove horas diárias vão ser suficientes. Já pensou, explicar aos adolescentes --e seus amigos, já que eles só andam em turma-- que não dá para pedir vários lanchinhos várias vezes por dia?
Por tudo isso e mais alguma coisa, acho que esqueceram de falar, nessa nova lei, da remuneração por hora de trabalho. Afinal, o horário de uma diarista varia: existem as que trabalham duas horas, três, quatro ou cinco --e outras, nove.
Os que moram em apartamentos grandes vão precisar de uma empregada em tempo integral e vão pagar por isso; mas para quem vive num quarto e sala, duas horas de trabalho, duas vezes por semana, são mais do que suficientes.
É claro que o preço para duas horas não é o mesmo que para nove, e quem tem um emprego de duas horas, duas vezes por semana, pode perfeitamente ter mais dois ou três (empregos).
E mais: se o empregador tiver que pagar auxílio-creche, auxílio-colégio, salário família e estabilidade em caso de gravidez, então só sendo milionário para poder ter uma empregada. Aliás, só pra saber: se for estipulado o preço da hora de trabalho, o preço vai ser o mesmo para quem mora em Caxias e o quem tem uma cobertura com piscina na Delfim Moreira? Só pra saber.
Tenho passado as noites em claro, apavorada, já que sou totalmente dependente de uma ajuda doméstica. Já tive vários tipos de vida, desde morar em apartamento grande e ter três empregadas, a um pequeno conjugado onde alguém vinha uma vez por semana dar aquele toque de talento que Deus não me deu.
Que felicidade, entrar numa casa, seja ela imensa ou mínima, e sentir que por ali passou uma abençoada mão de fada. Eu troco essa ajuda por qualquer vestido, qualquer carro, qualquer viagem, qualquer joia, porque para mim esse é o maior dos luxos: uma casa bem arrumada e cheirosa.
E espero que as novas leis me permitam, sempre, pagar o que merece a dona desse talento, que para mim vale ouro. Mas a partir de agora vou prestar atenção e contratar mães de filhos já crescidos, até porque em qualquer lugar do mundo a obrigação de dar creche e colégio é do governo.
Assim é essa PEC; imperfeita, e dando pânico de contratar uma nova funcionária. E se não der certo? Demitir vai sair tão caro que trabalhar como arrumadeira será praticamente ter estabilidade no emprego, como os funcionários públicos; e demissão, praticamente, só por justa causa.
Aliás, o que é que caracteriza a justa causa? As empregadoras não sabem, mas pergunte a qualquer candidata a um emprego doméstico; todas elas sabem, na ponta da língua, o que não podem fazer, para não correrem o risco de uma justa causa.
É curioso o mundo moderno: um marido pode ser dispensado por incompatibilidade de gênios, e uma empregada doméstica não.