segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Aquecimento global está em nossas mãos

Em Estocolmo em 20/09/2013 foi divulgado o último relatório do órgão das Nações Unidas responsável pelo estudo do clima. Esse relatório vem sendo feito desde 1990, quando se responsabilizava a própria natureza como responsável pelo aquecimento global.
Mas a cada nova edição a atividade humana vem sendo acusada como a principal responsável. Mas essa possibilidade, de que o homem é o maior causador, não é unânime, defendida por 97% dos cientistas, os demais são céticos. Entretanto, os cientistas continuam unânimes em suas conclusões de que as mudanças climáticas vão continuar. Todos os relatórios têm sido taxativos quanto às consequências desastrosas da manutenção do aquecimento.
Para combatê-lo, cientistas e relatórios prescrevem medidas necessárias como a redução da emissão de gases causadores do efeito estufa (GEE), tais como: o gás carbônico oriundo da queima de combustíveis, fim do desmatamento e, consequentemente o reflorestamento das áreas devastadas.
Entretanto, grande parte da população tem hoje em dia uma grande dependência dos combustíveis, indispensáveis para a qualidade de vida. Outras medidas custariam muito caro e afetariam a produção e o consumo.
Assim, aqueles 3% de cientistas céticos acabam sendo ouvidos e suas afirmações adotadas por governos e governantes. Apesar dos riscos, julgam que é melhor esperar o avanço da ciência, para tomar tais medidas. Assim providências urgentes são proteladas e outras paliativas adotadas.
O relatório atual propõe prognósticos regionais, soluções locais. Cada região cuidar do seu meio ambiente. Talvez seja mais prático: poucos estão interessados no degelo do Ártico, na falta de água da África, no tsunami da Ásia e em milhões que sofrem e morrem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário