segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Polo Ártico

O aquecimento global é regido por um ciclo natural de mudanças, que ocorrem ao longo dos anos e em todo mundo. Mas em nenhum outro lugar esses efeitos podem ser observados, tão claramente, como no Círculo Polar Ártico.
Durante o inverno a camada de gelo da calota polar atinge a temperatura de 60 graus negativos e no verão não passa de 10 graus negativos. Essa calota, com 30 milhões de metros quadrados, possui uma característica singular de aumentar e diminuir ao longo do ano. Assim, a camada gelada sempre foi bem maior no inverno e menor no verão.
Entretanto, desde 1979, quando a NASA passou a monitorar o Polo Ártico e a fotografar a sua superfície congelada, fotos tem demonstrado que a superfície gelada vem  diminuindo sistematicamente, chegando a ser hoje, 33% menor do que era.
Tal mudança, no ciclo natural de congelamento e degelo, ocorre devido ao aumento da temperatura da terra e pode levar ao seu desaparecimento, principalmente, durante os meses da primavera e o do verão. Enquanto a temperatura média global, nos últimos 34 anos, subiu 0,5 graus, no Ártico ela subiu 1.6.
Tal circunstância leva a um prognóstico preocupante, a camada congelada da superfície do Oceano Polar Ártico pode continuar a diminuir, gradativamente, até desaparecer em definitivo, com reflexos irrecuperáveis no ecossistema, como já vem ocorrendo com ursos, focas e vegetação.
A rapidez do degelo não tem dado tempo para que os animais se adaptem, pois encurta bruscamente a temporada de caça, indispensável à sobrevivência. Algumas espécies já estão condenadas e outras já sofrem as consequências das alterações na cadeia alimentar.
Indispensável intensificar os estudos sobre o aquecimento global e os vilões conhecidos: É urgente diminuir a emissão do Gás Carbônico na atmosfera, a redução do desmatamento, o reflorestamento e a adoção de práticas verdes e de combustíveis renováveis.
Com certeza a Natureza não se adaptará sozinha às mudanças, a contribuição humana é indispensável.


Um comentário:

  1. Muito interessante a sua matéria, Chermont. Temos que rever muitas coisas, mas como é difícil conscientizar a população. Não podemos perder a esperança...bora..:) Boa tarde e beijokas, querida.

    ResponderExcluir