segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Mais Médicos

O Programa Mais Médicos não resolverá todo os nossos problemas de saúde, mas ajudará muito. Pretende garantir o atendimento a muitos pacientes completamente desamparados. É o primeiro passo de um longo caminho de melhoria da saúde pública no Brasil.
Faz parte de um amplo pacto de melhoria, que prevê também investimentos em infraestrutura para as unidades médicas nas periferias. Espera garantir mais médicos para o Brasil e mais saúde para todos os brasileiros.
O Ministério da Saúde prevê que, até o fim do ano, o programa poderá contar com cerca de 4000 médicos a mais. Eles terão registro provisório, válido por três anos, para atuar apenas nos municípios designados.
As vagas, são oferecidas prioritariamente a médicos brasileiros, interessados em atuar nas regiões onde faltam profissionais. No caso do seu não preenchimento, o Programa aceita candidatos de médicos estrangeiros, com a intenção de resolver o quanto antes esse problema em nosso país. Os municípios não podem esperar seis, sete ou oito anos para receber médicos e atender a população.
Hoje, o Brasil possui 1,8 médicos por mil habitantes. Esse índice é muito menor do que o de outros países: Argentina (3,2), Uruguai (3,7), Portugal (3,9) e Espanha (4,0). Além da carência de profissionais, o Brasil sofre com uma distribuição desigual de médicos pelas diversas regiões. A maioria possui número de médicos abaixo da média nacional.

Como não se faz saúde apenas com profissionais qualificados, o Ministério está investindo R$ 15 bilhões até 2014 em infraestrutura dos hospitais e unidades de saúde. Desses, R$ 2,8 bilhões foram destinados a obras em 16 mil Unidades Básicas de Saúde e para a compra de equipamentos para 5 mil unidades; R$ 3,2 bilhões para obras em 818 hospitais e aquisição de equipamentos para 2,5 mil hospitais; além de R$ 1,4 bilhão para obras em 877 Unidades de Pronto Atendimento.

Um comentário: