segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Hora de decidir...


Nossas escolhas envolvem todo potencial interior armazenado durante nossa vida, formado principalmente por experiências racionais e afetivas acrescidas das inconscientes e irracionais. Ainda não é inteiramente conhecido o mecanismo cerebral das decisões.
Mas estudos mostram que há fatores que influenciam, para melhor ou pior, nas decisões que tomamos, independentemente do nosso controle. O estado de humor, o sono e o cansaço, por exemplo, podem ser decisivos no processo. Conhecer esses fatores pode nos ajudar a controlá-los e evitar saltos no escuro e arrependimentos.
Vejamos os mais citados.
  • Ver o lado positivo, você faria uma cirurgia sabendo que o risco de morte é 10% ou prefere saber que a chance de sobrevivência é de 90%
  • Estar com a bexiga cheia leva a escolhas impulsivas, apressadas!
  • O mau humor e a privação do sono são empecilhos para escolhas conscientes, enquanto a alegria e o bem estar levam a escolhas satisfatórias.
  • Ir ao supermercado com fome aumenta o volume das compras e dos produtos calóricos.
  • O nível de estresse dificulta a capacidade de tomar decisões mais sofisticadas, complicadas.
  • Quanto maior o número de opções, maior a dificuldade de escolha e maior a insatisfação com elas.
  • Evitar a fadiga de decisão, ou seja, horas seguidas de trabalho. Uma pausa sempre ajuda.


NÃO SOMOS INTEIRAMENTE RACIONAIS EM TODOS OS MOMENTOS DO DIA.

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Saber querer


Queremos muitas coisas. Quantas vezes levamos um longo tempo, fazendo sacrifícios enormes, sofrendo restrições, para conseguirmos aquilo que desejamos. Mas vale a pena. É assim, quando queremos um filho, quando entramos em uma faculdade ou quando decidimos construir ou comprar uma casa. A vida é feita de escolhas e de mudanças.

Mas, não basta querer. É preciso saber querer. SABER QUERER É PAGAR O PREÇO.

No entanto, a maioria de nós, age como se bastasse querer, como se tudo se resolvesse como num passe de mágica. Ledo engano! Ora, todos precisamos saber que, até uma pequena reforma no banheiro, perturba a casa inteira.Mas é coisa passageira. Logo desfrutamos os benefícios...

Assim, em junho de 2013, milhares de pessoas foram às ruas pedindo mudanças: no trânsito, na saúde, na educação etc. Tais reinvindicações foram consideradas justas pela maioria da população e dos governantes. Alguns, logo em seguida, puseram-se em ação na direção reivindicada. Que aconteceu? Gritaria geral contrária e até medidas judiciais tomadas.

Eu me lembro de outras alterações no trânsito que mexeram com o conforto da população: casas demolidas ou desapropriadas para abrir novas ruas...  Bairros inteiros sacrificados... Vivemos dias terríveis para nos deslocar... Assim foram a substituição dos antigos bondes, as obras do metrô e muitas outras. Meu pai brincava: “São Paulo, quando ficar pronta, será uma beleza!”

O mesmo deverá continuar acontecendo, porque nossa cidade não para de crescer! Todos sabemos que o trânsito está insuportável e que precisa mudar. MAS ESSA MUDANÇA NÃO SERÁ INDOLOR. PRECISAMOS PAGAR O PREÇO. Precisamos aceitar e compreender para conseguir, no futuro, uma vida melhor para todos!

E ai, como fica? Continuar como está é impossível! Precisamos de um serviço público de qualidade, para nos locomover e as ruas já são insuficientes para tantos carros... Se tentamos melhoras para um, o outro reclama. TEMOS QUE PENSAR NO FUTURO.

Canção do Tamoio

A vida
É luta renhida:
Viver é lutar.
A vida é combate,
Que os fracos abate,
Que os fortes, os bravos
Só pode exaltar.

Antônio Gonçalves Dias