sexta-feira, 14 de março de 2014

Stop Alzheimer

O diagnóstico médico é necessário, mas, se esquece o nome, mal anda, toma líquidos de canudinho, não consegue terminar uma frase, não controla mais suas funções fisiológicas e tem os famosos delírios paranoicos comuns nas demências do tipo, é Alzheimer.
Uma descoberta dentro da Neurociência vem revelar que o cérebro mantém, apesar da idade, a capacidade extraordinária de crescer e mudar o padrão de suas conexões.
Aeróbica dos Neurônios é uma forma de exercício cerebral, projetada para manter o cérebro ágil e saudável, criando sempre novos e diferentes padrões de atividades dos neurônios.
Cerca de 80% do nosso dia-a-dia é ocupado por rotinas, que, apesar de terem a vantagem de reduzir o esforço intelectual, escondem um efeito perverso: limitam o cérebro. Para contrariar essa tendência à rotina , é necessário praticar exercícios cerebrais que fazem as pessoas pensarem somente no que estão fazendo, concentrando-se na tarefa.
O desafio da neuróbica é fazer tudo aquilo que contraria as rotinas, obrigando o cérebro a um trabalho adicional. A proposta é mudar o comportamento rotineiro, fazer alguma coisa diferente com seu outro lado e estimular o seu cérebro. Exemplos:
Use o relógio de pulso no braço direito;
Escove os dentes com a mão contrária da de costume;
Ande pela casa de trás para frente; (na China o pessoal treina num parque);
Vista-se de olhos fechados;
Estimule o paladar, coma coisas diferentes, invente novas receitas, novos sabores.
Veja fotos de cabeça para baixo;
Veja as horas num espelho;
Faça um novo caminho para ir ao trabalho.
Leia muito, escreva buscando a clareza das ideias e criando novos circuitos neurais que venham a substituir os afetados pela idade e pela vida.
Não seja radical, nunca pare de trabalhar e nunca se esqueça de agradecer!
Invente novos desafios, faça palavras cruzadas, force a memória correndo atrás dos vazios e lapsos e não sossegue enquanto não lembrar o nome de algum velho conhecido, ou de uma localidade onde esteve há trinta anos.
Aprenda outra língua, mesmo depois dos sessenta anos.
Coloque a palavra FELICIDADE no topo da sua lista de prioridades: 7 de cada 10 doentes nunca ligaram para essas bobagens e viveram vidas medíocres e infelizes.
Mantenha-se interessado no mundo, nas pessoas, no futuro.
Lute, sempre, por uma causa, por um ideal, por um sonho. Nunca pare de trabalhar!

Melhor morrer lutando que ter a vida roubada pelo Alzheimer
Referência: Roberto Goldkorn

Nenhum comentário:

Postar um comentário