segunda-feira, 28 de março de 2016

Rosa Parks - a primeira-dama dos direitos civis

Rosa Louise Parks McCauley (1913 - 2005) foi uma ativista dos direitos civis Afro-Americano, a quem o Congresso dos Estados Unidos chamou de "a primeira-dama dos direitos civis" e "a mãe do movimento de libertação". O dia de seu aniversário, 4 de fevereiro e o dia em que foi presa, 01 de dezembro, se tornaram, ambos, Dia Rosa Parks.
Rosa Parks nasceu em Tuskegee, no estado do Alabama, no Sul dos Estados Unidos. Cresceu em uma fazenda e devido a problemas de saúde na família, foi obrigada a interromper os seus estudos e começou a trabalhar como costureira. Quando seus pais se separaram ela se mudou para a cidade de Montgomery.
Em 1932 casou-se com Raymond Parks, membro da Associação Nacional para o Progresso de Pessoas de Cor (NAACP), uma organização que luta pelos direitos civis dos negros, da qual Rosa se tornou militante.
Em 1 de Dezembro de 1955, em Montgomery, Alabama, Parks se recusou a obedecer a ordem do motorista James F. Blake a ceder seu assento na “seção colorida” para um passageiro branco, após a seção de branco estar cheia.
O ato de desafio de Parks tornou-se um símbolo importante do moderno movimento dos direitos civis. Ela tornou-se um ícone internacional da resistência à segregação racial.
Embora amplamente honrada, em anos posteriores, ela também sofreu por seu ato, ela foi demitida de seu emprego como costureira em uma loja de departamento local e recebeu ameaças de morte por muitos anos depois. Sua situação também abriu portas.
Após sua aposentadoria, Parks escreveu sua autobiografia e viveu uma vida, em grande parte privada, em Detroit. Em seus últimos anos, ela sofreu de demência.
ônibus de Montgomery em que Rosa Parks recusou-se a ceder seu lugar
a uma pessoa branca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário