segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Buraco de Minhoca



A ideia da viagem no tempo sempre foi bastante explorada nos filmes e seriados de ficção. Através de naves, portais, cabines ou mesmo de carros, os personagens podiam voltar ou avançar no tempo de uma forma surpreendente. No entanto, em nossa vida real a viagem no tempo é algo muito teorizado pelos cientistas, mas sem nenhum resultado comprovado.
Em teoria, uma das formas de se viajar no tempo seria pelos chamados “buracos de minhoca”. Foi Albert Einstein quem teorizou pela primeira vez a existência desses buracos com a formulação de sua teoria geral da relatividade.
Um buraco de minhoca é uma passagem teórica através do espaço-tempo que poderia criar atalhos para longas viagens em todo o universo. Os buracos de minhoca são previstos pela teoria da relatividade geral, mas é preciso ter cuidado – buracos de minhoca trazem consigo os perigos do colapso repentino, de alta radiação e contato perigoso com a matéria exótica.
Esses caminhos, buracos de minhoca, conectam dois pontos diferentes no espaço-tempo, criando teoricamente um atalho que poderia reduzir o tempo de viagem e a distância.
Buracos de minhoca contêm duas bocas, com uma garganta que conecta os dois. As bocas provavelmente seriam esferoidais, a garganta um trecho reto, mas também podem girar ao redor tomando um caminho mais longo do que uma rota mais convencional poderia exigir.
A teoria da relatividade geral de Einstein prediz matematicamente a existência de buracos de minhoca, mas nenhuma foi descoberta até o momento.
Certas soluções da relatividade geral permitem a existência de buracos de minhoca onde, a boca de cada um, é um buraco negro. No entanto, um buraco negro que ocorre naturalmente, formado pelo colapso de uma estrela moribunda, não cria por si só um buraco de minhoca.
Um buraco de minhoca pode não só ligar duas regiões separadas dentro do universo, ele também poderia conectar dois universos diferentes. Da mesma forma, alguns cientistas têm conjeturado que se uma boca de um buraco de minhoca é movido de uma maneira específica, poderia permitir a viagem no tempo, no entanto, o cosmólogo britânico Stephen Hawking argumentou que tal uso não é possível.
“Um buraco de minhoca não é realmente um meio de voltar no tempo, é um atalho, de modo que algo que estava longe poderia estar muito mais próximo”, escreveu Eric Christian, da NASA.
Embora a adição de matéria exótica a um buraco de minhoca possa estabilizá-lo, ao ponto que os passageiros humanos poderiam viajar com segurança através dele, ainda há a possibilidade de que a adição de matéria “regular” seria suficiente para desestabilizar o portal.
A tecnologia de hoje é insuficiente para ampliar ou estabilizar buracos de minhoca, mesmo que eles possam ser encontrados. No entanto, os cientistas continuam a explorar o conceito como um método de viagens espaciais, com a esperança de que a tecnologia acabará por ser capaz de utilizá-los.



Nenhum comentário:

Postar um comentário